Arte de capa: Guernica/ Pablo Picasso, 1937

Quando me predispus a escrever para o Distrito Drag, pensei em como poderia contribuir com honestidade para uma iniciativa tão urgente e necessária que é esse site.


Então pensei no que ultimamente tem afetado essa travesti, preta e periférica que por motivos políticos conseguiu ingressar no ensino superior público e quebrar, ainda que minimamente, um ciclo estrutural de opressão que já existe desde bem antes dela nascer, da mãe dela nascer, da avó dela nascer. O que afeta este corpo é toda uma onda fascista que têm como essência a sua negação.

Convido-lhes a uma conversa sobre o sujeito fascista e ‘democracia’ em tempos de golpe, porque estamos sendo movidas por uma onda de ódio que sempre existiu, mas que vem se revelando cada vez mais violenta e assassina.

Precisamos quebrar o ciclo!

Baixe o artigo e boa leitura.

 

Kika Sena.

Arte-educadora, mestranda em arte cênicas - UnB, atriz, performer e poeta.

Arte de capa: Guernica/ Pablo Picasso, 1937